3º Encontro dos Atores dos Ecossistemas de Inovação discute as tendências produtivas e tecnológicas para o mercado em Goiás

 

Com participação de representantes do MCTI, Embrapii e Aprontec, evento reuniu os atores do ecossistema de inovação e apresentou ações de fomento para projetos de tecnologia que promovam o desenvolvimento de Goiás. Secretários de oito municípios goianos participaram de uma reunião com titular da Sedi apresentando seus projetos de inovação

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (Sedi) realizou, nessa quarta-feira (25/05), o 3º Encontro dos Atores dos Ecossistemas de Inovação, no Centro Cultural Oscar Niemeyer. Durante o encontro, governo, sociedade civil organizada, setor produtivo e universidades discutiram ações voltadas para o desenvolvimento econômico, social e tecnológico do Estado de Goiás.

O evento é promovido em parceria com a Secretaria Geral de Governo (SGG), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e contou com a participação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

De acordo com o secretário de Desenvolvimento e Inovação, Marcio Cesar Pereira, o encontro foi uma oportunidade para falar sobre as tendências de mercado e como o governo e instituições podem oferecer suporte aos criadores de novas tecnologias. “A participação de todos nessas discussões é importantíssima para um diagnóstico preciso, para que possamos consolidar um Estado em que as pontas se conectam. A ideia é tornar Goiás referência”, destaca.

O presidente da Anprotec, Francisco Saboya, palestrou sobre o papel dos Ecossistemas de Inovação para o desenvolvimento das regiões. “A competitividade das cidades vem da inovação. Deixaram de ser downloads e passaram a ser upload. Região que não inova consome o que os outros produzem e gera riquezas para outras regiões”, explicou.

Os atores dos Ecossistemas de Inovação também dialogaram sobre as melhorias necessárias para uma boa educação profissional dentro do ambiente de trabalho, para que os talentos da empresa sejam retidos e gerem efeitos mais duradouros. “Conhecimento é fruto da inovação humana, e somente em um ecossistema de inovação é possível gerar fluxo intenso de conhecimento. É preciso investir em talentos, fazer que as criações desses talentos circulem, e no dia a dia surja vários outros negócios”, disse Saboya.

A ação voltada para que empreendedores de Goiás aprimorem a competitividade corporativa no cenário nacional e internacional contou ainda com palestras do diretor de Empreendedorismo e Inovação do MCTI, Marcos Pinto, da gestora da Embrapii, Marcela Mazzoni, e do superintendente executivo da Anprotec, Guilla Calheiros. Eles falaram sobre as ações desenvolvidas por suas instituições para fortalecer e apoiar as iniciáticas de inovação. 

Marcos Pinto, por exemplo, apresentou os editais de subvenção do MCTI para fomento de startups. O edital para projetos de inteligência artificial tem aporte de R$ 80 milhões, sendo até R$ 3 milhões por projeto voltados para o agronegócio, saúde, indústria, cidades inteligentes e turismo. Já o edital de tecnologias habilitadoras tem R$ 50 milhões em recursos e cada projeto por receber até R$ 1 milhão.

Participação dos municípios

Durante o 3º Encontro dos Atores dos Ecossistemas de Inovação, no período da manhã, representantes da Sedi, SGG, Fapeq, Sebrae, MCTI, Embrapii e Anprotec também se reuniram com secretários ligados ao setor de tecnologia e inovação de municípios goianos, com o objetivo de conhecer as iniciativas de cada um deles para o desenvolvimento tecnológico das suas cidades.

A Sedi e a Fapeq também apresentaram os programas e projetos desenvolvidos pelo Governo de Goiás que podem auxiliar as gestões municipais. O secretário Marcio Cesar falou sobre a possibilidade de levar o modelo das Escolas do Futuro para o interior do Estado ou disponibilizar serviços das prefeituras dentro da plataforma Expresso. Ele também convidou os municípios para participarem da Campus Party, que acontece no próximo mês.

“Estamos aqui para buscar soluções que sanem os desafios que caminham junto à inovação e, a partir disso, desenvolver técnicas que nos tragam resultados a longo prazo. Por meio de pesquisa, temos identificado as necessidades latentes do mercado, que podem ser solucionadas com o desenvolvimento de novos produtos, serviços e projetos”, disse o secretário de Desenvolvimento e Inovação de Goiás, Marcio Cesar Pereira.

O presidente da Fapeg, Robson Vieira, apresentou os projetos da fundação e falou sobre a atração e retenção de talentos no Estado, com o incentivo de bolsas de mestrado e doutorado, que serão reajustadas agora. Ele ainda citou o Centro de Excelência em Inteligência Artificial (CEIA) da Universidade Federal de Goiás (UFG), que desenvolve diversos projetos de tecnologia e é referência para todo país.

Participaram da reunião o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia de Goiânia, André Martins; o secretário de Indústria, Comércio, Trabalho, Emprego de Anápolis, Alex Martins; o secretário de Ciência e Tecnologia de Catalão, Rogério Mesquita; o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo de Rio Verde, Denimarcio de Oliveira; o secretário de Trabalho e Empreendedorismo de Senador Canedo, Holismar Marinho; e o superintendente de Tecnologia de Jataí, Ângelo Marcus Vieira.

Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação - Sedi
Comunicação Setorial