Sedi abre Inscrições para cursos de informática, manutenção de computadores e robótica

Os cursos fazem parte do Programa Sukatech, que prevê capacitação na área de TI, recondicionamento de computadores e doação de equipamentos, além de promover o descarte responsável de eletroeletrônicos

Instalado na Escola do Futuro José Luiz Bittencourt, o Programa Sukatech abriu suas primeiras turmas de capacitação na área de tecnologia. Neste primeiro ciclo, são 40 vagas em cursos oferecidos gratuitamente à população, sendo 15 vagas para Informática Básica, 15 para Manutenção de Computadores e 10 para Robótica.  As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site www.desenvolvimento.go.gov.br, no menu Programa Sukatech, ou clicando aqui. As aulas têm início no dia 24 de janeiro.

O único requisito para fazer os cursos é ter no mínimo 14 anos. No ato de inscrição o interessado deverá anexar os seguintes documentos no formulário: identidade, CPF e comprovante de residência atualizado.

As aulas serão ministradas presencialmente na Escola do Futuro de Goiás (EFG) José Luiz Bittencourt, nos turnos matutino (8h às 12h) e vespertino (14h às 18h). Com carga horária de 120 horas em Robótica e 60 horas nos demais cursos. A escola está localizada na Rua BF-25, esquina com Avenida JC-15, Bairro Floresta, em Goiânia.

As matrículas serão efetivadas por ordem de inscrição e a equipe do Sukatech entrará em contato por ligação para confirmação dos dados. Os alunos que não conseguirem vagas para o Ciclo I estarão automaticamente inscritos para os próximos ciclos.

O Programa

O Programa Sukatech do Governo de Goiás é desenvolvido por meio do Goiás Social, com gestão sob a responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi) e operacionalização da Organização da Sociedade Civil (OSC) Programando o Futuro.

O Sukatech é um programa de reciclagem de sucata eletrônica, da qual são retirados insumos para reciclagem e produção de novos equipamentos. O programa trabalha com três pilares: capacitação, recondicionamento e descarte responsável de eletrônicos, e doação dos equipamentos recondicionados.

Para tanto, está em fase de estruturação um Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC) capaz de reciclar e recondicionar resíduos eletroeletrônicos, animar a cadeia produtiva do segmento. O CRC terá capacidade para processar cerca de mil toneladas de resíduos eletrônicos ao ano, com a expectativa de que por volta de 1,5 mil computadores sejam recondicionados e doados a escolas públicas e instituições sociais.

Já estão prontos os espaços para a capacitação profissional na área de tecnologia. A previsão é de que, aproximadamente, mil jovens passem pelo Programa a cada ano, recebendo capacitações gratuitas nas áreas eletrônica e robótica livre, informática básica e manutenção de computadores.

O secretário de Desenvolvimento e Inovação, Marcio Cesar Pereira, destaca que o programa vai organizar o manejo do lixo eletrônico, tratando-o de maneira sustentável. Ele explica que os eletroeletrônicos, recebidos por meio de doação de cidadãos, órgãos públicos e privados, terão duas destinações: a primeira é absorver de cada computador, tablet e celulares componentes como plástico e metais, que serão reaproveitados por indústrias na produção de novos equipamentos, evitando a poluição do meio ambiente. Outra, é o recondicionamento de computadores, que posteriormente serão doados para escolas estaduais.

“E o mais bonito do programa é que, durante a fase de reciclagem e recondicionamento, há um processo de capacitação. Vamos modificar a vida de muitos jovens por meio do conhecimento e aprendizado de uma nova profissão, além de transformar o que poderia virar lixo tecnológico, em equipamentos para escolas e organizações sociais”, ressalta o secretário Marcio Cesar Pereira.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.