Comércio Exterior

A Secretaria de Desenvolvimento e Inovação, por meio da Gerência de Comércio Exterior da Superintendência de Negócios Internacionais,  elabora e divulga mensalmente dados de Goiás relativo ao comércio exterior como a  Balança Comercial de Goiás.

A partir de setembro de 2022, inicia a elaboração e publicação de e-Books e UP Dates -  informativos temáticos do comércio exterior, que servem para subsidiar, empresas goianas e do exterior, com dados sobre negócios internacionais, e, ainda, como referência para pesquisas acadêmicas e de negócios/investimentos.

Up Date - Pesquisa de Mercado

Up Date - Containers

Up Date - CPR Verde

Up Date - Acordos Comerciais

Up Date - Incoterms 2020


Programas em execução:

Inova Export - é um programa de apoio à exportação para empresas de base tecnológica;

Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX) - uma iniciativa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), desenvolve a capacitação de empresas para a inicialização do processo de internacionalização de forma segura e planejada;

 

O que é a Gecomex

A Gerência de Comércio Exterior (GECOMEX) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (SEDI) foi instituída pela Lei nº 20.491, de 25 de junho de 2019, e, regulamentada pelo Decreto nº 9.581, de 12 de dezembro de 2019. Com foco na agregação de valor por meio da inovação, a GECOMEX tem a missão de desenvolver e executar projetos voltados para o fortalecimento e inserção competitiva dos produtos e serviços goianos no mercado internacional.
 

Goiás em dados

O Estado de Goiás se apresenta como uma importante rota de interconexão comercial e tem despontado como o Centro da Integração Nacional. Com localização geográfica privilegiada e com a vantagem estratégica de, em apenas um raio de 1.000 km, conseguir alcançar mais de 70% do PIB nacional, Goiás é a escolha certa para as empresas que desejam ter presença nacional. O Estado compartilha suas divisas com o Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia e Tocantins, é passagem para o desenvolvimento dos principais projetos de infraestrutura ferroviária do país (FNS, FCA e FICO), e é servido por uma malha rodoviária com cerca de 25.000 km (incluindo rodovias estaduais e federais). O Porto Seco de Anápolis possui 200 mil m2 sendo 180 mil m2 de área alfandegada, trabalha com logística integrada e figura entre os 3 maiores Portos Secos do Brasil em valores movimentados. A recente internacionalização do Aeroporto de Goiânia somada aos caminhos logísticos já existentes tornaram Goiás um Estado preparado para colocar os produtos das empresas goianas no mercado internacional de forma competitiva.


O agronegócio é o principal setor ligado às exportações goianas sendo o maior responsável pelo desenvolvimento no interior do Estado. Goiás é o maior produtor de sorgo e girassol, segundo maior produtor de cana-de-açúcar, tomate e alho, terceiro maior na produção de milho, algodão, palmito e borracha, e quarto produtor brasileiro de soja, feijão e couro. Além disso, o Estado possui o segundo maior rebanho bovino do país, com mais de 23 milhões de cabeças de gado, e conta com infraestrutura instalada que atende as exigências de diversos padrões internacionais para o abate de bovinos, frangos e porcos.

Estão presentes no setor automotivo do Estado as montadoras Mitsubishi Motors, Suzuki Motors, John Deere, Hyundai Caoa e a Caoa Chery. O polo farmacêutico de Goiás, localizado no Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA), abriga grandes empresas nacionais e internacionais o que constitui a segunda maior base de empresas farmoquímicas do Brasil. O polo é responsável pala maior produção de medicamentos genéricos da América Latina.

No setor da moda, as indústrias de confecções goianas ocupam o sexto lugar no ranking nacional das indústrias do segmento.  A Região da 44 de Goiânia é o segundo maior polo de moda do Brasil. As empresas localizadas nessa região atendem demandas de países como Moçambique o que demonstra  a competitividade e o enorme potencial exportador do setor.

O segmento mineral tem ocupado cada vez mais espaço no PIB do Estado. Goiás possui a terceira maior reserva brasileira de nióbio e importantes reservas de ouro, cobre e alumínio, entre outros. A exploração e comercialização desses minerais têm contribuído substancialmente para o fortalecimento da balança comercial do Estado.

Equipe

Superintendente de Negócios Internacionais
Alexandre Cesar Batista Freire

Gerente de Comércio Exterior
Aurélio Alyson Alves Resende

Equipe Técnica:
Adriano Pires
Flávio Falcão
Maysa Rodrigues