Laboratório de Inovação Goiás usa modelo de cooperação e transferência de conhecimentos em prol da população goiana

Com o objetivo de promover o fomento à inovação com foco na constante melhoria dos serviços públicos ofertados ao cidadão, o Laboratório de Inovação Goiás (Ligo) entrou em operação. O espaço funciona por meio de parcerias e troca de conhecimentos de novas ferramentas, sempre com o objetivo de modernizar a máquina pública.

O Ligo foi criado pela Secretaria de Desenvolvimento e Inovação, por meio da Subsecretaria de Tecnologia da Informação, e está fundamentado na reunião de instituições que possam contribuir e atuar em conjunto no desenvolvimento e execução de projetos e soluções inovadoras.

Hoje, participam do Ligo equipes da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), do Instituto de Estudos e Pesquisas Mauro Borges (IMB), do Centro de Excelência em Inteligência Artificial da UFG (Ceia) e das equipes de Tecnologia e Informação dos órgãos estaduais.

Para o subsecretário de Tecnologia e Inovação, Rodrigo Michel, o Ligo vai promover muito mais do que soluções tecnológicas, mas também um mindset de crescimento dentro do próprio governo, conectando equipes e áreas afins. “A nossa ideia é gerar um impacto positivo com soluções inovadoras dentro do Estado, visando sempre levar serviços com excelência para o cidadão”, afirma Rodrigo.

Estão em andamento no laboratório, por exemplo, a modernização do banco de dados estatísticos do IMB, o chatbot (Inteligência Artificial) para matrículas na Secretaria de Educação e o fluxo de ouvidoria via IA, entre outros.

Rodrigo Michel ressalta ainda que teve início uma série de capacitações e workshops voltados para os servidores da área de TI do Estado, com o objetivo de alinhar os conhecimentos e trazer novos temas em evidência nesta área que passa por atualizações constantes.

Workshop

No último dia 24 de novembro, o Ligo realizou o 1° Workshop de Tecnologias Inovadoras. A edição teve como foco a ciência de dados, tendo sido abordado a metodologia CRISP-DM (modelo de processo de mineração de dados que descreve abordagens comumente usadas por especialistas para atacar problemas). O workshop foi conduzido por Romualdo Alves e contou com participantes de diversos órgãos do Estado.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.