Ecossistema de Inovação

“As ideias vêm de todos os lugares e é importante
criar um ambiente para que prosperem” - Brad Feld

Um ecossistema de inovação é formado a partir da colaboração de um conjunto de atores e mecanismos de estímulo à cooperação, como instituições de ciência e tecnologia, empreendedores, incubadoras, aceleradoras, parques tecnológicos, associações e ambientes de inovação de todos os tipos. Esses locais são o ponto focal para a criação de programas e promoção de novos talentos, palestras e encontros, rodadas de negócio, novas ideias e projetos.

Em 2014, a UP Global, organização internacional que promove comunidades empreendedoras, produziu um guia chamado “Fostering a Startup and Innovation Ecosystem” (Fomentando um Ecossistema de Startup e Inovação, em tradução livre) trazendo os cinco pilares para encorajar o desenvolvimento de um ecossistema de inovação. São eles:

Talento

Poder contar com diversos talentos é essencial para apoiar o crescimento dos negócios.

Por meio da Rede Itego, Universidade Estadual de Goiás (UEG)  e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), o Governo de Goiás investe em capital humano para construir e manter uma força de trabalho não apenas com as habilidades que as startups buscam, mas também para desenvolver negócios e inovar para o futuro.

Densidade

 A inovação acontece com o cruzamento de grandes mentes. Aumentando a densidade de pensadores e empreendedores talentosos, é possível elevar drasticamente o potencial de empreendimentos de sucesso.

A Sedi está implantando uma rede de mentores especialistas de apoio aos empreendedores e vai ligar universidades e redes de pesquisa com as empresas, sempre com o objetivo de fomentar projetos de inovação aberta.

Cultura:

A cultura é um ativo crítico de um cluster de inovação.

Goiás está a destacar os empresários como modelos, a ensinar habilidades empreendedoras, a promover postos de trabalho para startups e a comunicação público-privada.

Capital

Tanto para as empresas que estão começando quanto para quem tenta obter escala, o financiamento é fundamental. O capital inteligente pode realmente fazer a diferença para as novas empresas e investidores experientes ajudam os fundadores como mentores ao longo de sua jornada.

Por meio da Fapeg e da Goiás Fomento, o Governo do Estado fomenta e disponibiliza recursos para a fundação de startups no estado.

Ambiente regulatório

Os governos têm um papel a desempenhar na criação de um ambiente regulatório de apoio para empresários e investidores.

Goiás está avançando nessa área ao regulamentar o Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação, por meio do Decreto 9.506/2019. O Estado também já tem instituído o Programa Goiano de Parques Tecnológicos (PGTec) e está promovendo a revisão do arcabouço legal a fim de criar um ambiente regulatório favorável em todo Estado.

MAPEAMENTO DO ECOSSISTEMA

No Mapeamento do Ecossistema é possível visualizar onde os atores se localizam, o que fazem e como contatá-los.

Com apoio dos Embaixadores e da comunidade, a Sedi, por meio da Superintendência de Inovação Tecnológica, identifica instituições de apoio à Ciência, Tecnologia e Inovação no Estado, como incubadoras públicas e privadas, polos tecnológicos, instituições científicas, tecnológicas e inovação (ICTs), instituições de ensino superior (IES), parques tecnológicos e todos outros ambientes promotores do empreendedorismo inovador.

Formulário colaborativo

EMBAIXADORES DA INOVAÇÃO

Desenvolver ecossistemas não é uma atividade de uma pessoa só. Geralmente os esforços são puxados por um grupo pequeno de pessoas, mas é um comportamento que, quando constante, consegue atrair muito mais gente.

O projeto Embaixadores da Inovação, realizado em parceria com a Fapeg, visa identificar, selecionar e capacitar pessoas que são líderes de comunidade para serem pontos focais da Sedi em diversas regiões do Estado a fim de levar todas as ações e possibilidades de conexão a todos o ecossistema goiano de inovação.

Os principais objetivos do projeto são:

  • Capacitar e apoiar líderes de comunidade para promover ações e eventos de inovação tecnológica em sua cidade e região;
  • Fortalecer a comunicação entre o ecossistema e Estado;
  • Criar uma rede de suporte para os projetos inovadores em atividade;
  • Mapear organizações, pessoas, empresas que queiram fomentar o empreendedorismo e as startups locais.

MENTORES DA INOVAÇÃO

Em toda jornada empreendedora, ter alguém com visão de mercado ou um especialista técnico com intenção genuína de ajudar e contribuir com o desenvolvimento das pessoas faz muita diferença para o sucesso do negócio.

Por meio de um edital de fluxo contínuo, especialistas de todas a áreas de conhecimento irão se identificar (ou serem indicados) para compor um time de experts dedicados ao ecossistema goiano de inovação, possibilitando o desenvolvimento de novas ideias e empresas que resultarão na geração de mais empregos e renda.

Por que ser um mentor?

  • aquisição de novos conhecimentos, contatos e ferramentas de trabalho
  • proporcionar à empreendedores o acesso à profissionais experientes para o desenvolvimento de sua startup;
  • possibilidade de ter novas experiências profissionais;
  • ampliação da visão de empreendedorismo e inovação;
  • expansão das relações sociais;
  • oportunidade de encontrar potenciais novos fornecedores, parceiros, talentos, investidores, e outros.